Ano 10 – nº 15 – Jan. / Dez. 2019

8. TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTO: ANÁLISE DO TEMA NA CADEIA DE SUPRIMENTOS À LUZ DA BIBLIOMETRIA

Carla Cristina da Silva

Mestrado em Administração – UFV

Doutoranda em Administração – UFES

carlacriss@gmail.com

Marcos Paulo Valadares de Oliveira

Professor em Administração – UFES

marcos.p.oliveira@ufes.br

Mateus Frechiani Bitte

Graduado em Administração – UFES

Mestrando em Administração – UFES

mateusbitte@gmail.com

Resumo

Este estudo analisa o tema transferência do conhecimento na cadeia de suprimentos no âmbito internacional. Por meio de um estudo bibliométrico, identificou-se 33 publicações na base ISI Web of Knowledge/Web of Science publicados entre 1991 a 2017. O presente trabalho tem por objetivo contribuir para o debate sobre o papel da transferência de conhecimento na cadeia de suprimentos. Os procedimentos metodológicos envolveram quatro fases distintas: (1) levantamento dos artigos que tratam sobre o tema (2) seleção daqueles que demonstravam ter algum vínculo com o tema de pesquisa (3) registro em uma planilha eletrônica e análise dos dados (4). A realização da análise dos dados foi feita através do programa R, em sua versão 3.3.3 e o conteúdo das publicações foi analisado, envolvendo títulos, palavras-chave, resumos e o corpo dos textos, colaboração entre autores, periódicos, citações, envolvendo autoria e referências bibliográficas e metodologia. Conclui-se que a base de dados analisada reflete as características do universo da produção acadêmica recente em gestão de operações e engenharia no âmbito internacional. Os resultados permitiram identificar os trabalhos mais citados e uma lista de artigos recentes, os quais apontam o perfil das pesquisas sobre transferência do conhecimento na cadeia de suprimentos ao longo do tempo.

Palavras-chave: Cadeia de suprimentos. Transferência de conhecimento. Bibliometria.

 

TRANSFER OF KNOWLEDGE: analysis of the theme
in the supply chain in the light of bibliometrics

Abstract

This study analyzes the topic of knowledge transfer in the international supply chain. Through a bibliometric study, 33 publications were identified in ISI Web of Knowledge / Web of Science published between 1991 and 2017. This paper aims to contribute to the debate about the role of knowledge transfer in the supply chain. The methodological procedures involved four distinct phases: (1) survey of articles dealing with the topic (2) selection of those who showed some connection with the research topic (3) record in a spreadsheet and data analysis (4). The analysis of the data was done through program R, in its version 3.3.3 and the content of the publications was analyzed, involving titles, keywords, summaries and body of the texts, collaboration between authors, periodicals, quotes, involving authorship and bibliographical references and methodology. It is concluded that the database analyzed reflects the characteristics of the universe of recent academic production in international operations and engineering management. The results allowed to identify the most cited papers and a list of recent articles, which point out the profile of the research on knowledge transfer in the supply chain over time.

Keywords: Supply chain. Transfer of knowledge. Bibliometrics.

1   Introdução

A transferência de conhecimento em diferentes dimensões da vida em sociedade destaca-se desde as últimas décadas do século XX. Um aspecto que é, hoje, objeto de crescente atenção diz respeito à indissociabilidade entre as dinâmicas cognitiva, informacional, inovativa e socioespacial (BATHELT; MALMBERG; MASKELL, 2004). Desse modo, a troca de conhecimento na cadeia de suprimentos permite que seus membros aproveitem este recurso intangível nas atividades cotidianas, com o intuito de reduzir incertezas, fornecer aos decisores conhecimento para a tomada de decisões e consequentemente melhorar a produtividade (LINNANDER et al., 2017; DAGHFOUS; AHMAD, 2015; KOTABE; MARTIN; DOMOTO, 2003; MODI; MABERT, 2007.

Estudiosos (WHITEHEAD; ZACHARIA; PRATER, 2016; KHAN; NICHOLSON, 2014; HE; GALLEAR; GHOBADIAN, 2011; WU; CHENG; HUANG, 2010) corroboram que a transferência de conhecimento requer um remetente e receptor, nos quais o conhecimento se move do remetente para o receptor. Este processo na cadeia de suprimentos é considerado complexo e envolve educação, aprendizagem, comunicação, confiança e troca de informação.

No contexto deste trabalho, discutiu-se a transferência de conhecimento com o intuito de disponibilizar um quadro geral e ser um ponto de partida para pesquisadores e interessados no tema. O presente trabalho tem por objetivo contribuir para o debate sobre o papel da transferência de conhecimento na cadeia de suprimentos. A contribuição pontual diz respeito em observar nos trabalhos como o tema está sendo tratada na cadeia de suprimentos. Esta questão é interessante, sob o ponto de vista da pesquisa acadêmica, visto que identificar os padrões de troca de conhecimento em cadeias produtivas pode trazer subsídios para busca de melhoria de performance das empresas e da cadeia em si.

Este estudo foi realizado a partir de uma análise sistemática fundamentada em técnicas bibliométricas, aplicadas em uma das principais bases de dados internacionais, a ISI Web of Knowledge/Web of Science. A utilização desta técnica contribui para mapear uma grande quantidade de trabalhos sobre o assunto e filtrar os periódicos e as publicações relevantes, de modo a torná-los disponíveis como insumos para futuras pesquisas. Um total de 306 artigos entre os anos de 1991 a 2017 foram identificados e selecionados e sistematicamente analisados. Porém, após leitura dos resumos e análise destes artigos, optou-se por apresentar os resultados de uma revisão estruturada da literatura de transferência de conhecimento na cadeia de suprimentos, com base na revisão em profundidade de somente 33 artigos.

Este critério de busca objetivou identificar questões precisas sobre transferência de conhecimento na de cadeia de suprimentos. Assim, alguns pontos foram examinados, como: conteúdo, envolvendo títulos, palavras-chave, resumos e o corpo dos textos, colaboração entre autores, periódicos, citações, envolvendo autoria e referências bibliográficas e metodologia. Esta revisão identifica várias características teóricas e metodológicas, da maneira como a transferência de conhecimento é proposta e no contexto da cadeia de suprimentos.

A revisão da literatura mostrou um crescente interesse sobre o tema transferência de conhecimento na cadeia de suprimentos. Isto deve-se, principalmente, ao fato de que a troca de conhecimento em cadeias produtivas pode trazer subsídios para a busca de melhoria de performance das empresas e da cadeia em si. Destaca-se que uma fragmentação da natureza dos países estudados, bem como, o conhecimento em cadeias de suprimentos. Devido a estas circunstâncias, as principais metodologias utilizadas para estudar a transferência de conhecimento são resumidas, e as atividades de transferência de conhecimento focadas na cadeia de suprimentos são destacadas.

Este artigo está estruturado em cinco seções. Esta introdução é a primeira seção. Na seção 2 são apresentados alguns aspectos inicias sobre o campo de estudos de transferência de conhecimento na cadeia de suprimentos. Na seção 3 são descritos os procedimentos metodológicos adotados. Na seção 4 são analisados e apresentados os principais resultados. E, na seção 5, são feitas as considerações finais.

2   Referencial

A transferência de conhecimento é um fator importante para o desenvolvimento da vantagem competitiva da cadeia de suprimento (BLOME; SCHOENHERR; ECKSTEIN, 2014; MODI; MABERT, 2007). O conhecimento é essencial e deve ser transferido por meio de troca de informação (KOTABE; MARTIN; DOMOTO, 2003), compartilhamento (LIU; CHEN; NIU, 2015; WHITEHEAD; ZACHARIA; PRATER, 2016) comunicação (KHAN; NICHOLSON, 2014) e confiança (HE; GALLEAR; GHOBADIAN, 2011; (WU; CHENG; HUANG, 2010).

Os impactos da transferência de conhecimento sobre a cadeia de suprimentos depende dos tipos e métodos de compartilhamento de conhecimento (LIU; CHEN; NIU, 2015). Sobre os métodos, o processo de transferência de conhecimento ocorre por meio da interação pessoal direta, sistemas de informação e redes e reside no fornecedor (fonte) e é transmitido ao usuário (receptor) (LIU; CHEN; NIU, 2015). Se a transferência de conhecimento acessar cada elo da cadeia de suprimentos, a eficiência e a eficácia da cadeia pode ser melhorada acelerando o fluxo de informações e as empresas poderiam atender aos requisitos dos clientes imediatamente através da compartilhamento de informações de outros parceiros da cadeia de suprimentos (HE; GALLEAR; GHOBADIAN, 2011).

Sobre os tipos, o conhecimento é considerado como simples ou complexo. Se é um conhecimento simples, após a mineração do conhecimento, ambos os lados do compartilhamento de conhecimento só precisam transferir o conhecimento uma vez. Mas, se é um conhecimento complexo, o processo de transferência de conhecimento deve ser tomado mais de uma vez (LIU; CHEN; NIU, 2015). Isso se faz necessário, pois o conhecimento é fácil de ser perdido e mal interpretado.

Este processo pode ser formal ou informal. A transferência formal envolve procedimentos estruturados e etapas para o compartilhamento de conhecimento, enquanto a transferência informal acontece de forma não estruturada e espontânea. Por sua vez, o fato de ocorrer transferência não implica necessariamente que o status de conhecimento do receptor tenha sido aumentado. A falha do receptor para alcançar o padrão desejado de conhecimento também pode ser considerada como uma falha no processo de transferência de conhecimento.

No processo de transferência de conhecimento, as partes podem ter conhecimento adicional e a transmissão desse conhecimento de volta às fontes de conhecimento é o feedback do conhecimento. Transferência e feedback repetidos do conhecimento formam um processo completo de transferência de conhecimento (LIU; CHEN; NIU, 2015).

Davenport e Prusak (2002) afirmam que a transferência de conhecimento requer não apenas transmissão de conhecimento, mas também absorção e uso. O processo de transferência de conhecimento só é considerado completo quando as partes envolvidas tem capacidade de absorver o que foi transmitido (DAGHFOUS; AHMAD, 2015); (KHAN; NICHOLSON, 2014).

Prahinski e Benton (2004) discutem a riqueza relativa de um canal de comunicação para afetar a transferência de conhecimento. A comunicação unidireccional pode disseminar informações codificadas, enquanto questões como “entrega de qualidade e flexibilidade” (KRAUSE; SCANNELL; CALANTONE, 2007) são mais propensas a exigir feedback e comunicação bidirecional mais colaborativa. Estruturas de comunicação inter-organizacionais são importantes para distribuir o conhecimento transferido dentro de uma organização receptora, maximizando assim a capacidade de absorção coletiva (MODI; MABERT, 2007; KHAN; NICHOLSON, 2014).

A confiança entre duas organizações é o fator de maior magnitude na motivação para transferência de conhecimento, além de motivar apoio e orientação de aprendizado. O intercâmbio de conhecimento no gerenciamento da cadeia de suprimentos inclui informações de nível operacional e know-how de nível estratégico (HE; GALLEAR; GHOBADIAN, 2011).

A transferência de conhecimento pode proporcionar vantagens competitivas a longo prazo nas cadeias de suprimentos. A troca de conhecimento tácito geralmente é difícil durante o processo de transferência e o conhecimento explícito é relativamente fácil de transmitir. O conhecimento tácito é realizado por indivíduos, mas não necessariamente verbalizado (FREEMAN et al., 2010), está vinculado ao contexto e incorporado às pessoas. Para que o conhecimento tácito seja transferido e adaptado com sucesso a um novo contexto, ele requer interações sociais intensivas envolvendo gerentes, e, em alguns casos, funcionários em todos os níveis da organização. Porém, foi observado que o conhecimento tácito leva tempo para se desenvolver, pois é construído em relacionamentos de confiança, através dos quais os indivíduos estão preparados para compartilhar informações (FREEMAN et al., 2010).

A transferência de conhecimento pode fortalecer as conexões entre os parceiros da cadeia de suprimentos e evitar informações distorcidas ou incompletas entre os parceiros da cadeia de suprimentos que podem levar a operações ineficientes (HE; GALLEAR; GHOBADIAN, 2011; WU; CHENG; HUANG, 2010).

3   Procedimentos metodológicos

Este artigo possui um enfoque de caráter exploratório e descritivo Collis e Hussey (2005), sendo delineado com base no método de pesquisa bibliométrica, o qual refere-se ao estudo dos aspectos quantitativos da produção, disseminação e uso da informação registrada com emprego de métodos matemáticos e estatísticos (SPINAK, 1996).

Esta técnica pode ser empregada para observar o estado da ciência e da tecnologia por meio de investigação pormenorizada da produção da literatura científica em determinado nível de especialização (TAGUE-SUTCKIFFE, 1992). Além disso, é utilizada para identificar os trabalhos e autores mais importantes a respeito do tema pesquisado.

Assim, os procedimentos metodológicos adotados neste trabalho envolveram quatro fases distintas: (1) levantamento dos artigos que tratam sobre os temas transferência de conhecimento na cadeia de suprimentos destacados pela base de dados periódicos internacionais da área na base ISI Web of Knowledge/Web of Science; (2) seleção daqueles que demonstravam ter algum vínculo com o tema de pesquisa (3); registro em uma planilha eletrônica e análise dos dados (4).

4   coleta de dados

Para identificar uma população de estudos sobre o tema, realizou-se pesquisas de palavras-chave no banco de dados eletrônico de pesquisa na área de Ciências Sociais - ISI Web of Knowledge/Web of Science - usando palavras-chave como “Knowledge transfer” and “supply chain”. Por meio da opção de pesquisa avançada, empreendeu-se a busca do referido termo no título, resumo, ou palavras-chave dos artigos.

A pesquisa nas bases de dados resultou em um total de 306 artigos, que foram exportados para formato XML. O primeiro critério de seleção dos artigos foi retirar aqueles que realizavam revisão bibliográfica, permanecendo apenas research papers. Nesta etapa, o número de artigos foi reduzido de 306 para 201, compondo assim a base de dados utilizada no trabalho. A base de dados apresentou publicações que partem do ano de 1991 até 2017.

Os 201 artigos selecionados inicialmente passaram por um segundo processo de triagem objetivando identificar especificamente os artigos que trabalhassem os temas de transferência de conhecimento na cadeia de suprimentos concomitantemente. O processo consistiu na leitura dos resumos e uma leitura dinâmica para que fosse possível identificar os artigos específicos de interesse. O resultado dessa etapa foi a redução de 201 para 33 (16,5%) artigos.

Os 168 artigos excluídos tratavam das temáticas em separados ou apenas na conclusão da pesquisa como uma proposta para sanar limitações na cadeia estudada e não falavam do tema da gestão do conhecimento na cadeia de suprimentos como cerne do trabalho. Posteriormente, os dados dos 33 artigos selecionados foram tabulados em uma planilha eletrônica, possibilitando a análise dos dados.

5   Análise dos dados

A realização da análise dos dados foi feita através do programa R, em sua versão 3.3.3. O software R é gratuito e criado em ambiente livre com o objetivo de realizar análises estatísticas das mais variadas através das extensões do programa (R DEVELOPMENT CORE TEAM, 2011). No presente trabalho, a extensão utilizada foi a BIBLIOMETRIX 1.9.3 para a realização da análise bibliométrica da base de dados (ARIA; CUCCURULO, 2017). A próxima sessão apresentará os resultados e as discussões advindas das análises propostas. As discussões visam esclarecer e situar o leitor na área da gestão sobre a transferência de conhecimento na cadeia de suprimento.

6   Resultados

Após análise dos dados, foi possível identificar as características e aspectos comuns do banco de dados. Inicialmente, observou-se que dos 33 artigos selecionados para compor a base bibliométrica a grande maioria foi publicada em journals de alto fator de impacto, conforme classificação do JCR. A tabela 1 traz os 7 principais journals e sua área de interesse.

14

Os principais periódicos que apresentaram publicações sobre transferência de conhecimento na cadeia de suprimentos estão apresentados na tabela 1. Os quatro primeiros periódicos são, essencialmente, periódicos dedicados à Gestão de Operações e apresentam alto fator de impacto. O periódico IJPE declara “abranger todos os temas relacionados à manufatura e processos industriais, bem como à produção em geral”. O periódico IBR afirma desafiar os potenciais autores a produzir pesquisa distinta de alta qualidade, bem fundamentada em teoria e com alto rigor metodológico e possui área voltada para gestão de operações. Por fim, o periódico SMJ procura publicar pesquisas de alta qualidade com questões, evidências e conclusões relevantes para o gerenciamento estratégico e envolvimento com especialistas em gestão estratégica. Assim, nota-se a relevância de cada journal apresentado em relação ao tema aqui pesquisado.

Adicionalmente, na tabela 2, selecionou-se cada publicação referente aos periódicos citados, assim como o número de citações de cada trabalho selecionado.

15

Tabela 2 - Artigos publicado em cada Journal e número de citações.

Fonte: Dados da pesquisa.

O trabalho “Gaining from vertical partnerships: knowledge transfer, relationship duration, and supplier performance improvement in the US and Japanese automotive industries” de autoria de Kotabe, M; Martin, X e Domoto, H publicado no Strategic Management Journal, no ano de 2003, é uma referência para estudiosos sobre o tema na cadeia de suprimentos, apresentando 407 citações. O segundo trabalho mais citado, foi “Supplier development: Improving supplier performance through knowledge transfer”, de autoria de Modi, Sachin B e Mabert, Vincent A, ano 2007 publicado no Journal of Operations Management com 204 citações.

O primeiro trabalho mais citado argumenta que relacionamento mais curtos entre fornecedor e comprador também proporcionam benefícios advindos da transferência de conhecimento. Foi desenvolvido e testado um modelo multivariado para examinar quais práticas de transferência de conhecimento estão associadas à melhoria do desempenho do fornecedor, a análise contrastou duas formas de transferência de conhecimento: trocas técnicas relativamente simples e transferência de tecnologia associadas a capacidades de nível superior (KOTABE; MARTIN; DOMOTO, 2003).

O segundo trabalho mais citado, enquanto as empresas se esforçam cada vez mais para desenvolver o desempenho do fornecedor, evidências teóricas e empíricas do potencial de criação de valor do desenvolvimento de fornecedores permanecem escassas. Modi (2007) apoiado na visão baseada no conhecimento da empresa, tenta entender como a condução de atividades de transferência de conhecimento operacional (OKTA) com o fornecedor leva à criação de valor, sob a forma de melhorias no desempenho do fornecedor e qual o papel desempenhado pela comunicação nos programas de desenvolvimento de fornecedores. Seu estudo foi um complemento à pesquisa de Krause; Scannell e Calantone, (2007), cujo objetivo foi investigar diretamente o impacto do desenvolvimento de fornecedores em melhorias no desempenho de fornecedores, com o fator comunicação (MODI; MABERT, 2007). Assim, destaca a importância destes trabalhos, devido ao pioneirismo da pesquisa e a relação do estudo sobre transferência de conhecimento e desempenho organizacional.

Uma análise da evolução das publicações demonstra um interesse crescente pelo tema. A figura 1 traz graficamente a evolução das publicações em intervalos de 4 anos. Do início do ano de 2001 até o final de 2012, foram publicadas 13 pesquisas sobre o tema, enquanto durante o período de 2013 a 2017 foram publicadas 20 pesquisas. O primeiro período tem uma média de 1,10 publicações por ano, já o segundo período, uma média de 5 artigos por ano. Este aumento se deve ao crescente interesse relacionado ao tema e aos benefícios que a transferência de conhecimento proporciona a cadeia de suprimentos.

16

No que se refere aos aspectos metodológicos de cada artigo é possível observar uma ligeira predominância dos métodos quantitativos e apenas a presença de uma publicação utilizando métodos mistos. Dos 33 artigos selecionados 18 (54,5%) utilizam uma metodologia quantitativa, enquanto 14 (42,4%) são de metodologia qualitativa. Apenas 1 (3,1%) artigo utiliza uma metodologia mista.

Os métodos de coleta e análise dos dados são variados como demonstra a tabela 3. É possível destacar que a maioria dos dados são coletados através de entrevistas e surveys, que por sua vez, são utilizados em análises feitas com a utilização da análise de conteúdo e modelagem de equações estruturais, respectivamente.

 

A business model approach to supply chain management (TRKMAN; BUDLER; GROZNIK, 2015)

Qualitativa - Entrevista/documental/ reports - Análise documental e de conteúdo - Slovenia

A knowledge exchange and diffusion of innovation (KEDI) model for primary production (MANNING, 2013)

Qualitativa - Revisão de literatura - Análise documental - Reino Unido

A model of rapid knowledge development: The smaller born-global firm (FREEMAN et al., 2010)

Qualitativa - Revisão de literature - Análise documental - Australia

Absorptive capacity versus distributive capability The asymmetry of knowledge transfer (WHITEHEAD; ZACHARIA; PRATER, 2016)

Quantitativa – Survey - Modelagem de equações estruturais - Estados Unidos

An Experimental Test of Negotiation Strategy Effects on Knowledge Sharing Intentions in Buyer Supplier Relationships (THOMAS et al., 2013)

Quantitativa - Experimento (cenário) - Análise de cenário (MANOVA) - Estados Unidos

An investigation of the cross-border supplier development process: Problems and implications in an emerging economy (KHAN; NICHOLSON, 2014)

Qualitativa - Estudo de caso/ Entrevista - Análise de conteúdo - Reino Unido

Applying knowledge management concepts to the supply chain: How a Danish firm achieved a remarkable breakthrough in Japan (GLISBY; HOLDEN, 2005)

Qualitativa - Revisão de literature - Análise documental - Japão

Choice of supply chain governance: Self-managing or outsourcing? (LU; MENG; GOH, 2014)

Quantitativa - Revisão de literatura – Simulação - Singapura

Comparison of competing models and multi-group analysis of organizational culture, knowledge transfer, and innovation capability: an empirical study of the Taiwan semiconductor industry (LIAO et al., 2015)

Quantitativa – Survey - Modelagem de equações estruturais - Taiwan

Creative supply-chain linkages and innovation: Do the creative industries stimulate business innovation in the wider economy? (BAKHSHI; MCVITTIE, 2009)

Quantitativa – Documental – Econometria - Reino Unido

Does Kaizen create backward knowledge transfer to Southeast Asian firms? (MACHIKITA; TSUJI; UEKI, 2016)

Quantitativa – Survey - Regressão Linear - Japão

Dynamic resource integration optimisation of global distributed manufacturing: an embeddedness-interaction perspective (YAO; DENG, 2016)

Quantitativa - Revisão de literatura (modelo) – Simulação - China

Facilitating learning and knowledge transfer through supplier development (GIANNAKIS, 2008)

Qualitativa - Entrevista/observação - Análise de conteúdo - Reino Unido

From knowledge transfer to learning: The acquisition and assimilation of human capital in the United Arab Emirates and the other Gulf States (EWERS, 2013)

Misto - Survey/ Entrevista - Estatística descritiva e analise de conteúdo - Estados Unidos

Gaining from vertical partnerships: Knowledge transfer, relationship duration, and supplier performance improvement in the US and Japanese automotive industries (KOTABE; MARTIN; DOMOTO, 2003)

Quantitativa – Survey - Modelagem de equações estruturais - Estados Unidos

Game Analysis of the Knowledge Sharing Mechanism for the Supply Chain Collaborative Innovation (LIU; CHEN; NIU, 2015)

Quantitativa - Revisão de literatura (modelo) – Simulação - China

Improving operational performance through knowledge exchange with customers (NAGATI; REBOLLEDO, 2013)

Quantitativa – Survey - Modelagem de equações estruturais - França

Inter-organizational governance, learning and performance in supply chains (HERNÁNDEZ-ESPALLARDO; RODRÍGUEZ-OREJUELA; SÁNCHEZ-PÉREZ, 2010)

Quantitativa – Survey - Modelagem de equações estruturais - Espanha

Knowledge risks in organizational networks: An exploratory framework (TRKMAN; DESOUZA, 2012)

Qualitativa - Revisão de literatura (modelo)- Análise documental- Slovenia

Knowledge transfer channels to Vietnam for process improvement (MACHIKITA; UEKI, 2013)

Quantitativa – Survey - Regressão Linear - Japão

Knowledge transfer model for improving productivity of the cable manufacturing industry: A South African perspective (MUNYAI; NYAKALA; MBOHWA, 2017)

Quantitativa – Survey - Estatítica descritiva e inferencial - África do Sul

Knowledge transfer within strategic partnerships: the case of HRM in the Brazilian motor industry supply chain Wood, G (Wood, Geoffrey);

Qualitativa - Estudo de caso/ Entrevista - Análise de conteúdo - Reino Unido

Knowledge Transfer: The Facilitating Attributes in Supply-Chain Partnerships (HE; GALLEAR; GHOBADIAN, 2011)

Qualitativa – Multicaso - Análise dos casos - Reino Unido

Knowledge transfers from multinational plants in Ireland - A cross-border comparison of supply-chain linkages (HEWITT-DUNDAS et al., 2005)

Qualitativa – Entrevista- Análise de conteúdo - Reino Unido

Local learning from multinational plants: Knowledge transfers in the supply chain (CRONE; ROPER, 2001)

Qualitativa – Entrevista - Análise de conteúdo - Reino Unido

Process evaluation of knowledge transfer across industries: Leveraging Coca-Cola’s supply chain expertise for medicine availability in Tanzania (LINNANDER et al., 2017)

Qualitativa – Entrevista - Análise de conteúdo - Estados Unidos

Supplier development: Improving supplier performance through knowledge transfer (MODI; MABERT, 2007)

Quantitativa – Survey- Modelagem de equações estruturais - Estados Unidos

The Effect of Knowledge Management in Enhancing the Procurement Process in the UK Healthcare Supply Chain (AL-KARAGHOULI et al., 2013)

Qualitativa - Estudo de caso/ Entrevista - Análise de conteúdo - Reino Unido

The effect of supply-chain disruption, quality and knowledge transfer on firm strategy (CLEMONS; SLOTNICK, 2016)

Quantitativa - Revisão de literatura (modelo) – Simulação - Estados Unidos

The impact of knowledge transfer and complexity on supply chain flexibility: A knowledge-based view (BLOME; SCHOENHERR; ECKSTEIN, 2014)

Quantitativa – Survey - Modelagem de equações estruturais - Bélgica

The study of knowledge transfer and green management performance in green supply chain management (WU; CHENG; HUANG, 2010)

Quantitativa – Survey - Regressão múltipla - Taiwan

The Value of Relational Learning in Global Buyer-Supplier Exchanges: A Dyadic Perspective and Test of the Pie-Sharing Premise (CHEUNG; MYERS; MENTZER, 2010)

Quantitativa – Survey - Modelagem de equações estruturais - Estados Unidos

User development through proactive knowledge transfer (DAGHFOUS; AHMAD, 2015)

Qualitativa – Entrevistas - Análise de conteúdo - Emirados Árabes

Tabela 3 - Metodologia, método de coleta e análise de dados e local de análise

Fonte: Dados da pesquisa.

Por fim, para visualizar a representatividade dos países de origem das instituições de vínculo dos 1.458 autores dos 33 trabalhos mapeados neste estudo bibliométrico foram identificados os países com mais produção científica no campo de transferência de conhecimento na cadeia de suprimentos, conforme Tabela 4.

17

O tema está sendo tratado em várias partes do mundo com maior ênfase nos Estados Unidos e Reino Unido.

7   Discussão

A contribuição pontual deste trabalho diz respeito em observar como o tema transferência de conhecimento está sendo tratado na cadeia de suprimentos. Percebe-se que este assunto faz parte da agenda de autores considerados renomados no campo de estudo, devido a publicação em journal de alto fator de impacto e ao número de publicações e citações. Além disso, nota-se que uma evolução crescente de publicação sobre o tema, e este vem sendo tratado de maneiras metodológicas distintas e em diferentes países.

Os artigos que compõem a base de dados abordam a transferência de conhecimento sob diversas óticas. Alguns trabalhos discutem os indicadores que fomentam a transferência de conhecimento (TRKMAN; DESOUZA, 2011; HE; GALLEAR; GHOBADIAN, 2011; MANNING, 2013). Outros autores trabalham a transferência de conhecimento para gerar outputs relacionados a inovação e melhoria de desempenho dentro da cadeia de suprimentos (FREEMAN et al., 2009; WU; CHENG; HUANG, 2009; THOMAS et al.,2013). No contexto da cadeia de suprimentos, a transferência de conhecimento é fator relevante na busca de competitividade das empresas (Thomas et al., 2013; Machikita; Ueki, 2013). He; Gallear e Ghobadian (2011) identifica os fatores relacionais que fomentam a transferência de conhecimento na cadeia, seus achados suportam a visão de que confiança, comprometimento, interdependência, compartilhamento de significado e poder balanceado facilitam a troca de conhecimento na cadeia.  Além do mais, para obter sucesso na transferência é necessário que haja a comunicação de informações e troca de conhecimento (Wu; Cheng; Huang, 2009).

Compreende-se que o tema transferência de conhecimento na cadeia de suprimentos foi aqui discutido como um recurso intangível que pode tornar a cadeia de suprimentos mais competitiva, por meio da confiança, comprometimento e compartilhamento, comunicação.

8   Conclusão

O presente trabalho contribui para o desenvolvimento de estudos no campo de pesquisa sobre transferência de conhecimento na cadeia de suprimentos, ao disponibilizar uma análise bibliométrica das publicações internacionais dessa área. Este estudo pode servir de orientação para estudiosos que forem realizar suas pesquisas no referido campo de conhecimento, especialmente para um pesquisador que não está familiarizado com o assunto. Até o momento não se encontrou estudos que haviam realizado um mapeamento desta área de modo a fornecer informações estruturadas sobre, por exemplo, os trabalhos com alto fator de impacto, os trabalhos mais citados e as referências da área.

Percebe-se que a maioria dos estudos analisa a relação de transferência de conhecimento, considerando a díade entre fornecedor e comprador. A transferência de fato facilita a criação de valor para uma organização, sob a forma de melhor desempenho do parceiro da relação dentro da cadeia. A comunicação e confiança são destacados como um facilitador importante na transformação dos esforços de uma empresa e seu parceiro na troca de conhecimento.

Conclui-se que a base de dados analisada reflete, em grande parte, as características do universo da produção acadêmica recente em gestão de operações e engenharia no âmbito internacional. Além disso, os resultados permitiram identificar os trabalhos mais citados e uma lista de artigos recentes, os quais apontam o perfil das pesquisas sobre transferência do conhecimento na cadeia de suprimentos ao longo do tempo. O uso combinado das técnicas exploradas neste artigo potencializa sua apropriação a outros conjuntos de artigos e campos da produção científica. O perfil das publicações e a quantidade significativa de artigos identificados neste trabalho destacam a atualidade do tema e o seu potencial de exploração em futuros estudos.

Referências

ARIA, M.; CUCCURULLO, C. Bibliometrix: An R-tool for comprehensive science mapping analysis. Journal of Informetrics, v.11, n.4, p. 959-975, 2017.

AL-KARAGHOULI, W. et al. The Effect of Knowledge Management in Enhancing the Procurement Process in the UK Healthcare Supply Chain. Information Systems Management, v. 30, n. 1, p. 35–49, 2013.

BAKHSHI, H.; MCVITTIE, E. Creative supply-chain linkages and innovation: Do the creative industries stimulate business innovation in the wider economy? Innovation: Management, Policy and Practice, v. 11, n. 2, p. 169–189, 2009.

BATHELT, H.; MALMBERG, A.; MASKELL, P. Clusters and knowledge: local buzz, global pipelines and the process of knowledge creation. Progress in Human Geography, v. 28, n. 1, p. 31–56, 2004.

BLOME, C.; SCHOENHERR, T.; ECKSTEIN, D. The impact of knowledge transfer and complexity on supply chain flexibility: a knowledge-based view. International Journal of Production Economics, v. 147, part. B, p. 307–316, 2014.

COLLIS, J.; HUSSEY, R. Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

CHEUNG, M. S.; MYERS, M. B.; MENTZER, J. T. Does relationship learning lead to relationship value? A cross-national supply chain investigation. Journal of Operations Management, v. 28, n. 6, p. 472–487, 2010.

CLEMONS, R.; SLOTNICK, S. A. The effect of supply-chain disruption, quality and knowledge transfer on firm strategy. International Journal of Production Economics, v. 178, p. 169–186, 2016.

CRONE, M.; ROPER, S. Local learning from multinational plants: Knowledge transfers in the supply chain. Regional Studies, v. 35, n. 6, p. 535–548, 2001.

DAGHFOUS, A.; AHMAD, N. User development through proactive knowledge transfer. Industrial Management & Data Systems, v. 115, n. 1, p. 158–181, 2015.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L. Conhecimento empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. Tradução: Lenke Peres. 3. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

EWERS, M. C. From knowledge transfer to learning: The acquisition and assimilation of human capital in the United Arab Emirates and the other Gulf States. Geoforum, v. 46, p. 124–137, 2013.

FREEMAN, S. et al. A model of rapid knowledge development: The smaller born-global firm. International Business Review, v. 19, n. 1, p. 70–84, 2010.

GIANNAKIS, M. Facilitating learning and knowledge transfer through supplier development. Supply Chain Management: an International Journal, v. 13, n. 1, p. 62–72, 2008.

GLISBY, M.; HOLDEN, N. Applying knowledge management concepts to the supply chain: How a Danish firm achieved a remarkable breakthrough in Japan. Academy of Management Executive, v. 19, n. 2, p. 85–89, 2005.

HE, Q.; GALLEAR, D.; GHOBADIAN, A. Knowledge transfer: the facilitating attributes in supply-chain partnerships. Information Systems Management, v. 28, n. 1, p. 57–70, 2011.

HERNÁNDEZ-ESPALLARDO, M.; RODRÍGUEZ-OREJUELA, A.; SÁNCHEZ-PÉREZ, M. Inter-organizational governance, learning and performance in supply chains. Supply Chain Management: an International Journal, v. 15, n. 2, p. 101–114, 2010.

HEWITT-DUNDAS, N. et al. Knowledge transfers from multinational plants in Ireland: A cross-border comparison of supply-chain linkages. European Urban and Regional Studies, v. 12, n. 1, p. 23–43, 2005.

KHAN, Z.; NICHOLSON, J. D. An investigation of the cross-border supplier development process: problems and implications in an emerging economy. International Business Review, v. 23, n. 6, p. 1212–1222, 2014.

KOTABE, M.; MARTIN, X.; DOMOTO, H. Gaining from vertical partnerships: Knowledge transfer, relationship duration, and supplier performance improvement in the U.S. and Japanese automotive industries. Strategic Management Journal, v. 24, n. 4, p. 293–316, 2003.

KRAUSE, D. R.; SCANNELL, T.V.; CALANTONE, R.J. A structural analysis of the effectiveness of buying firm’s strategies to improve supplier performance. Decision Sciences, v.31, n.1, p.33–55.2000.

LIAO, S. et al. Comparison of competing models and multi-group analysis of organizational culture, knowledge transfer, and innovation capability: an empirical study of the Taiwan semiconductor industry. Knowledge Management Research & Practice, v. 13, n. 3, p. 248–260, 2015.

LINNANDER, E. et al. Process evaluation of knowledge transfer across industries: Leveraging Coca-Cola’s supply chain expertise for medicine availability in Tanzania. PLoS ONE, v. 12, n. 11, p. 1–17, 2017.

LIU, L.; CHEN, G.; NIU, X. Game analysis of the knowledge sharing mechanism for the supply chain collaborative innovation. Journal of Industrial Engineering and Management, v. 8, n. 1, p. 152–169, 2015.

LU, Q.; MENG, F.; GOH, M. Choice of supply chain governance: Self-managing or outsourcing? International Journal of Production Economics, v. 154, p. 32–38, 2014.

MACHIKITA, T.; TSUJI, M.; UEKI, Y. Does Kaizen create backward knowledge transfer to Southeast Asian firms? Journal of Business Research, v. 69, n. 5, p. 1556–1561, 2016.

MACHIKITA, T.; UEKI, Y. Knowledge transfer channels to Vietnam for process improvement. Management Decision, v. 51, n. 5, p. 954–972, 2013.

MANNING, L. A knowledge exchange and diffusion of innovation (KEDI) model for primary production. British Food Journal, v. 115, n. 4, p. 614–631, 2013.

MODI, S. B.; MABERT, V. A. Supplier development: improving supplier performance through knowledge transfer. Journal of Operations Management, v. 25, n. 1, p. 42–64, 2007.

MUNYAI, T.; NYAKALA, S.; MBOHWA, C. Knowledge transfer model for improving productivity of the cable manufacturing industry: A South African perspective. African Journal of Science, Technology, Innovation and Development, v. 9, n. 6, p. 749–759, 2017.

NAGATI, H.; REBOLLEDO, C. Improving operational performance through knowledge exchange with customers. Production Planning and Control, v. 24, n. 8–9, p. 658–670, 2013.

R DEVELOPMENT CORE TEAM. R: a language and environment for statistical computing. Vienna: R Foundation for Statistical Computing: 2011.

SPINAK, E. Diccionario enciclopédico de bibliometría, cienciometría e informetría. Montevideo: UNESCO, 1996. 245 p.

TAGUE-SUTCKIFFE, J. An introduction to informetrics. Information Processing & Management, v. 28, n. 1, p. 1-3, 1992.

THOMAS, S. P. et al. An experimental test of negotiation strategy effect on knowledge sharing intention in buyer-supplier relationship. Negotiation strategy effect on knowledge sharing, v. 49, n. 2, p. 96–113, 2013.

TRKMAN, P.; BUDLER, M.; GROZNIK, A. A business model approach to supply chain management. Supply Chain Management: An International Journal, v. 20, n. 6, p. 587–602, 2015.

TRKMAN, P.; DESOUZA, K. C. Knowledge risks in organizational networks: An exploratory framework. Journal of Strategic Information Systems, v. 21, n. 1, p. 1–17, 2012.

WHITEHEAD, K. K.; ZACHARIA, Z. G.; PRATER, E. L. Absorptive capacity versus distributive capability. International Journal of Operations & Production Management, v. 36, n. 10, p. 1308–1332, 2016.

WU, G.; CHENG, Y.; HUANG, S. The study of knowledge transfer and green management performance in green supply chain management. Journal of Business, v. 4, n. 1, p. 44–48, 2010.

YAO, J.; DENG, Z. Dynamic resource integration optimisation of global distributed manufacturing: an embeddedness–interaction perspective. International Journal of Production Research, v. 54, n. 23, p. 7143–7157, 2016.